Contador de visitas

contador grátis

quarta-feira, maio 31, 2006


UMBANDA, RELIGIÃO OU INVENÇÃO?

Existem os que dizem que a Umbanda, não existe, que é apenas uma invenção, outros dizem que é uma filosofia e não uma religião, existem também os que juram que a Umbanda é um culto de adoração ao demônio, enfim, cada um da a denominação que acha mais conveniente para sua pouca ou mesmo inexistente inteligência.

Mas uma coisa não podemos negar: os atos de caridade que são constantemente praticados dentro dos terreiros de Umbanda. Quem de nós nunca presenciou um deles? Duvido que uma pessoa que freqüente um templo, tenda, ou qualquer outra nomenclatura recebida por esses terreiros, não os tenha presenciado.

O que acontece é que os Caboclos, Pretos Velhos, Marinheiros, Boiadeiros e até mesmo os Exús, não permitem que os atos de amor ao próximo, que são praticados por eles ou por seus médiuns sejam conclamados aos quatro cantos (como se diz no dito popular). Praticando assim uma das máximas de Nosso Senhor Jesus Cristo: “dai com a direita, sem que perceba sua esquerda”. Ao contrário do que vemos em demais seguimentos, que, quando praticam uma caridade, esta tem que ser divulgada até mesmo nos meios de comunicação. Será que Jesus Cristo em sua infinita sabedoria, compactua ou concebe este tipo de “caridade”?

A umbanda foi criada em Niterói, no dia 15 de Novembro de 1908, para receber os espíritos de nossos Índios e Escravos, e até mesmo os espíritos de Índios Americanos que não encontraram apoio em Centros Kardecistas. Através do Caboclo Sete Encruzilhadas, nasceu a Umbanda. E foi se espalhando por todo território Nacional, até chegar ao ponto que não há um único estado sequer que ela não esteja presente.

Assim temos esta que é verdadeiramente a única Religião Brasileira, e que devíamos amar mais e exigir respeito até mesmo de nossos governantes. Por se tratar de uma Religião Genuinamente Brasileira, acredito que nosso governo deveria olhar para ela com mais atenção e carinho. Afinal ao que me consta, as demais religiões foram criadas em outros países e futuramente introduzidas aqui em nosso País. Mas, como brasileiro aceita tudo que depositam aqui por falta de espaço em suas casas...!

Mas o importante mesmo é sabermos que Umbanda Existe sim, é uma Religião sim e não apenas uma filosofia de vida como pregam alguns. Até mesmo existem Umbandistas que dizem: “não temos religião e sim Seita!” Segundo me consta, o então Presidente da República, o sociólogo Fernando Henrique Cardoso, sancionou uma lei na qual Candomblé e Umbanda passaram a ser religião sim.

Nossa religião é Paz, Amor e Caridade, mas infelizmente somos apenas perseguidos e escorraçados como em tempos passados. Será que não somos responsáveis diretos por isso?

Afinal, quando falam de nossa religião, nos apedrejam ficamos calados! E diz a sabedoria popular: “quem cala consente”. Devemos parar de nos submeter a essas coisas horrendas que fazem conosco e lutarmos por nossos ideais.

Quantos drogados, alcoólicos encontraram cura na Umbanda? Quantas vezes os chefes de terreiros tiraram até mesmo de seus parcos recursos para socorrer a quem nada tinha? Mas isso não dá Ibope não é mesmo? Só da Ibope, falar mal dos outros, caluniar. Blasfemar.

Se Umbanda é invenção não sei. Tudo que sei é que ela é Minha Religião, e a amo muito e respeito seus ensinamentos e preceitos.

VIVA UMBANDA ILUMINADA!

Tatetú N’Inkisi Lambaranguange, Odé Mutaloiá (Sérgio Silveira).

Contatos:
odemutaloia@hotmail.com

odemutaloia@uol.com.br

sábado, maio 27, 2006

ANTIGA MÁQUINA DA VERDADE CULTURAL


Se os desalmados de hoje em dia, pelo menos reconhecessem o bem que faz os que escutam alguém dizer: Deus Lhe Abençoe Meu Filho, Deus Lhe Acompanhe, Deus Lhe Ajude, etc., a tão aclamada paz não encontraria obstáculo de forma alguma em se expandir a toda a humanidade.

Mas acontece que os viventes da atualidade, sem dar a mínima para o azar, radicalmente continuam distantes da realidade e ainda se recusam em conhecer o abençoado poder que se encontra acumulada na imortal máquina de Educação Antiga, que sempre está disponível em combater as adversidades e a falta de respeito existentes no mundo inteiro. É triste e até causa repudia assistirmos e ouvirmos o atual espetáculo de mal gosto, e ficar torcendo para que no mais curto prazo de tempo, possamos aplaudir de pé, uma verdadeira novela em que no elenco estejam os atores desconhecidos nas telas das t.vs e cinemas.

Acredito que muito antes da minha partida deste mundo terráqueo, ainda vou com fé em Deus assistir de camarote o fracasso final desses invasores de uma intelecta Cultura, que só cabe a interpretação aos Gênios do Bem.

A razão de a incredulidade existir no campo espiritual devemos aos Inconvíctos
que pisam em falso, desconhecendo que ancestralidade não combina com a vaidade. Se todos que lidam com as coisas do mundo invisível estivessem preparados, as forças contrárias seriam em definitivo eliminadas.

segunda-feira, maio 08, 2006

PRECE DE EXÚ TIRIRI

Sou Exu como tantos outros, mas sou submisso ao SUPREMO PAI UNIVERSAL. É a ele que me dirijo:
Senhor meu pai, permite que assim o chame, pois na realidade tu és o meu criador.
Formaste-me da poeira astrica, mas como tudo provém de ti, sou real e eterno.
Permita-me Senhor, que eu possa servir-te nas humildes e desprezíveis tarefas criadas pelos teus humanos filhos.
Os homens me tratam de anjo decaído, de povo traidor, de rei das trevas, de gênio do mal e de tudo que usam em suas palavras para exprimir o seu desprezo por mim, no entanto nem suspeitam que nada sou do que o reflexo de si mesmo.
Não reclamo, não me queixo porque esta é a tua vontade.
Sou invocado pela consciência dos homens a prejudicar o seu semelhante, sou usado como instrumento para aniquilar aqueles que são odiados, movido pela covardia e maldade humana, sem, contudo poder negar ou recorrer.
Pelo pensamento dos inconscientes sou induzido a exercer a descrença, a confusão, e a ignorância, pois esta é a condição que tu me impuseste.
Não reclamo de nada Senhor, mas fico triste por ver os teus filhos que criastes a tua imagem e semelhança serem envolvidos pelo turbilhão de iniqüidades que eles mesmos criaram, e eu por tua lei inflexível delas tenho que participar.
No entanto Senhor, na minha pequenez e miséria me sinto grande e feliz, quando encontro n’algum coração um oásis de amor e sou solicitado a ajudar na prestação da caridade.
Aceito sem queixumes, a executar das consciências, mas lamento, sofro, porque os homens até hoje não conseguiram compreender.
Peço-te oh! Pai Infinito, que lhes perdoe, peço-te não por mim, pois sei que tenho que completar o eixo de provação, mas eles, os humanos seus filhos, perdoa-os e torna-os bons porque somente através da bondade de seus corações poderei sentir a vibração do teu amor e a graça de teu perdão.


Fleury, (Exu Tiriri).