Contador

free counter

quarta-feira, março 07, 2007

OBI


Obi, obi d’água ou simplesmente obi. Todos estes nomes referem-se à mesma obrigação, voltada exclusivamente a confortar uma pessoa em um caso de doença, desemprego, distúrbios nervosos, ou até mesmo para um iniciado dentro dos preceitos do axé orixá, quando por um motivo ou outro, o mesmo não pode passar por um bori. Esta obrigação tem seu nome em referência a uma fruta africana, o obi, sem a qual nada podemos realizar para os orixás, no tangente a sacrifícios, uma vez que é com ela que conversamos com nossos antepassados para sabermos se aquele santo está satisfeito com a obrigação, etc.

Esta obrigação é a mais simples realizada dentro do axé, no tangente a dar de comer a uma cabeça. Muito embora algumas pessoas achem que ela não tem maiores fundamentos junto com o orixá, mas já presenciamos muitos casos que foram resolvidos com esta. Trata-se neste ato, de confortar o anjo da guarda da pessoa, seja consulente ou filho de santo, ocasião onde alimentamos Oxalá, no intuito de pedir a misericórdia para aquele filho que se encontra em tal sofrimento.

Claro que esta obrigação não cria uma obrigatoriedade do cliente com o santo, ela apenas serve como um modo de resolver de imediato uma questão. Existem aqueles que após o obi, sentem-se tão felizes que optam por penetrar de forma mais profunda dentro de nossa religião.

Nesta obrigação são utilizados: ebô (canjica de Oxalá), ebô yá (a mesma canjica, porém preparada para Yemanjá e de forma diferente), o obi (que é uma fruta de origem africana), frutas variadas, vela e uma quartinha com água além da comida do santo da pessoa. Em alguns casos é utilizado um pombo branco.

Antigamente quando uma pessoa desejava entrar para os preceitos de uma casa, ou seja, ser filho ou filha de santo naquele templo, ou mesmo quando seu orixá exigia feitura, os zeladores tinham por hábito realizar esta como uma primeira obrigação, para daí então estudar a pessoa, ver se ela realmente tinha amor e dedicação para com os orixás, e até mesmo para se certificarem de que era realmente sua casa e sua mão que aquele santo desejava, e não apenas uma empolgação material ou espiritual. Agiam assim, pois que, nesta época não existia o fato de uma pessoa fazer santo com um e tomar obrigações com outro, provocando um rodízio ridículo nas roças de santo como as que se vê hoje em dia.

Para uma pessoa se iniciar, existia todo um processo de identificação dele com a casa e vice-versa. Era uma época em que a fidelidade de um iniciado era realmente levada a sério, assim como a do sacerdote com relação a seus iniciados. E o obi, era justamente a obrigação que funcionava como uma espécie de flerte, vulgarmente comparando, evitando constrangimentos futuros.

Hoje em dia, parece que esta fidelidade simplesmente evaporou-se com a fumaça dos defumadores, pois que uma pessoa se inicia em uma casa e quando desencarna, traz uma longa passagem de terreiro em terreiro. Claro que ainda existem aqueles que prezam a fidelidade, mas são bem poucos nos tempos atuais.
Ser um iniciado é antes de tudo sermos fiéis a mão que alimenta nosso orixá, nosso anjo da guarda, assim como ele é fiel a nosso zelador. Pertencermos ao axé orixá é antes de tudo sermos humildes, desprovidos de arrogância e soberba, é seguirmos nosso destino na certeza de que um ser tão puro e iluminado se dedica a zelar por nós e nossa vida.

ISSO SIM É SERMOS PARTE DESTE MARAVILHOSO MUNDO O QUAL CHAMAMOS; CANDOMBLÉ!

Tatetú N’Inkisi lambaranguange: Odé Mutaloiá.

Contatos:

odemutaloia@hotmail.com

odemutaloia@pop.com.br

Tel: 0 (xx) 27 3282-1860.

16 comentários:

  1. interessante explicação m tirou as duvidas que eu estava......obrigada ^^

    ResponderExcluir
  2. cristiany duarte15 setembro, 2008 19:12

    BOA NOITE!!!
    MUITO OBRIGADA POR TER TIRADO A MINHA DUVIDA>....VC FOI BEM EXCLARECIDA....UM GRANDE ABRAÇO
    CRISTIANY DUARTE

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela explicação. Simples e impactante!

    ResponderExcluir
  4. gostei da explicação baba.
    direta, objetiva e fácil de assimilar.
    um cheirinho bom de jasmim c energia.
    Dirce d Oyá

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pela explicação. Clara, objetiva, firme e consciente.
    Desejo caminhos abertos, paz e sabedoria!

    Filha da Tenda MIrim - RJ

    ResponderExcluir
  6. isso tudo é verdade se ficarmos de casa em casa não criamos uma raiz definida .

    ResponderExcluir
  7. Isso tudo é verdade devemos escolher uma casa e fazer uma raiz para depois termos o que falar .e não ficar de galho em galho .

    ResponderExcluir
  8. oi tudo bom?
    Eu dei um obi tem 7 dias, eu queria saber o prazo maximo do resguardo?
    E o que devo fazer da gora pra frente

    ResponderExcluir
  9. Parabens!!! compreendi muitissimo bem

    ResponderExcluir
  10. OBRIGADO GOSTEI MUITO DESSA EXPLICAÇÃO !!! ENTENDI DIREITINHO.

    ResponderExcluir
  11. a religião do candomble como dito acima hoje em dia não e levada a serio como deveria ser como antigamente infelizmente eu nao sou daquela epoca mais pelos mais velhos no santos dizem que era muito rigoroso e tinha muito mais axé que hoje, mais ainda tem aquelas pessoas que não deixam o axe cair e levantam as pessoas serias e comprometidas principalmente
    eu sou abiã graças a Deus sinto-me muito bem como o axe dos meus orixas e meu guias que me acompanham em todos os momentos felicidades e muito axé para todos
    motumbá a de quem é de motumbá boa noite para quem é de boa noite

    ResponderExcluir
  12. nossa parabens tudo muito explicado e correto foi bem direto em suas palavras parabes e muito axé

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço por suas gentis palavras ao meu humilde trabalho.
      Axé.

      Excluir
  13. Parabéns pela explicação pois hoje em dia tem muita coisa que agente ve na rede que não eh verdade e sua explicação me deixou com a mente aberta em relação ao obi pois estou prestes a realizar um no proximo dia trinta e estou procurando ter mais conhecimento sobre atos que irão fazer comigo abradeço muito e muito obrigado Axé para ti e para com seus Orixás.

    Claudio de Oxaguiã!!!

    Axé.

    ResponderExcluir
  14. Muito boa explicação, mas gostaria de saber se pode me tirar uma dúvida...
    Sou rodante, fiz o meu Obi e não virei...
    Mas quando chego em outra casa de santo viro com Ogum toda vez que há alguma coisa...
    Isso quer dizer algo???

    ResponderExcluir
  15. Bem, existem vários mootivos que podem ter levado a isso. Mas não posso falar sobre isso aqui no blog. Se quiser pode entrar em contato comigo por e mail ok? Mas seu relato tem fundamento sim. Ogum é um Orixá arisco e muito sistemático, e pode ter acontecido várias coisas. Era para ele ter ido ao seu Obi sim.

    Abraços

    ResponderExcluir