Contador de visitas

contador grátis

domingo, junho 02, 2013

ORIXÁ ANCESTRAL OU ORIXÁ DE FAMÍLIA

Nossos Orixás nos acompanham desde nosso nascimento, cuidam-nos, amparam-nos e nos guiam sempre para o caminho melhor, em busca de nosso crescimento espiritual, pois que, este é o que interessa de verdade.

Ocorre que algumas pessoas lutam, lutam, mas nunca conseguem resolver certos problemas de sua vida. E isso tanto no campo financeiro/profissional, como no amoroso e outros. Ofertam presentes ao seu Orixá, alimentam-no sempre, porém, sua vida caminha, mas, depois de um curto tempo desmorona tudo novamente.

Quando isso ocorre, vem sempre a pergunta: “será que fiz algo de errado? O zelador fez as coisas certas?” Porém, o problema pode ser de fundo ancestral e assim as providencias precisam ser outras.

Nenhum de nós nasce do vento. Temos pai, mãe, avós, bisavós, e assim por diante. Esta é nossa árvore genealógica. E alguns de nossos problemas, de nossas dificuldades podem estar aí.

Quando se busca uma casa para resolver seus problemas, a pessoa geralmente acha que, fizeram feitiço para ela, que ela está sendo vítima de olho grande e outros. Mas, o que ocorre, é que tanto seus odús quanto seu Orixá de família podem estar precisando de atenção. Oras se temos família, obviamente, nossos antepassados também não nasceram do vento. E assim sendo, possuíam seus Orixás, sua espiritualidade e a 
solução dos problemas pode estar aí.

Nem todos os nossos antepassados se cuidavam no campo espiritual. Até mesmo porque a igreja católica perseguia e até mesmo queimava na fogueira, aqueles que não seguiam sua doutrina. E isso fez com que muitos de nossos antepassados não buscassem ajuda no plano espiritual.

E por não buscarem essa ajuda, foram criando carmas para seus descendentes. É sabido que a vida espiritual influencia de forma direta em nossa vida material. Sem cuidados com o espírito, ficamos a mercê de pessoas más que tão somente vivem para prejudicar a quem quer que atravesse seu caminho de uma forma ou de outra.

Quantas pessoas não sentem inveja a troco de nada? E elas são os maiores inimigos que temos, pois que, farão de tudo para destruir a felicidade e a vida dos outros. Existem pessoas que mesmo não tendo nada de concreto contra a outra a prejudica, pois não são felizes e não aceitam em hipótese alguma que ninguém o seja.

Então o consulente busca em casas de Santo, a solução para seus problemas. Mas, mesmo que se esforce o zelador, ele não consegue encontrar uma solução para a vida daquela pessoa. Ocorre também que nem todos os zeladores se preocupam em olhar a ancestralidade da pessoa. Ver qual Orixá o rege nesse campo e quais os carmas que ele traz para aquele ser encarnado.

Faz-se necessário que cuidemos também desse lado espiritual daqueles que nos buscam. Existem pessoas ainda que, caminham determinado ponto e depois, sem explicação alguma, começam a perder tudo o que conquistou. É como se essa pessoa, desse um passo para frente, e dez para trás.

Então, ela fica se questionando, tentando entender o porquê disso. Faz obrigações as mais variadas sempre está com uma vela acesa, mas nada parece ser correto, pois não tem 100% de solução nunca, para nada.

O que ocorre é que em certos casos, a pessoa tem uma necessidade de cuidar, de zelar, de alimentar seu Orixá ancestral, pois de alguma forma foi gerado um carma, ou mesmo aquele Orixá ficou de herança para aquele vivente. Pode ocorrer ainda, que a pessoa esteja com seu Odú negativo e isso nunca permitirá que as obrigações feitas dêm o efeito esperado.

No caso do Orixá ancestral, pode-se alimentar o mesmo, trazendo sua interferência positiva para a vida daquela pessoa, afinal, Orixá é energia pura, positiva, bastando para isso, que saibamos como identificar o mesmo e a forma correta de o alimentar.

A importância dessa Deidade é tão grande, que em certos casos, ele traz para a pessoa, revelações incríveis de seus antepassados e até mesmo de problemas uterinos, ou seja, de quando estava ainda no ventre materno sendo gerado, e esses problemas passaram a lhe acompanhar pela vida.

A solução dos problemas através do Orixá ancestral é tão grande, que muitas das vezes, casos que são considerados até mesmo como sem solução, são resolvidos em pouquíssimo espaço de tempo.

Não podemos, no entanto, confundirmos o Orixá de família com o da pessoa, muito embora em alguns casos ele apareça até mesmo de uma forma tão ativa que nos leva a crer que aquela pessoa seja seu filho.

Nesse momento o zelador deve se atentar no jogo, para que não haja equívocos, pois que, quando esse Orixá está muito próximo da pessoa, pode-se confundir o mesmo com o da cabeça do consulente.

É de vital importância que o sacerdote ou sacerdotisa que estiver cuidando daquele cliente, entenda as posições e quedas dos búzios para que não haja confusão na interpretação do que aquela deidade estiver falando naquele momento.

Muitos são os que se intitulam zeladores de Santo, porém, pouquíssimos são os que realmente entendem de determinados assuntos pertinentes ao panteão africano. Os mais antigos, sabiam como interpretarem essas quedas sem causar danos na vida daqueles que recorriam á sua casa em busca de socorro para aflições as mais variadas.

Sem o devido preparo, não temos como saber identificar cada assunto que os búzios estão tratando, pois que, são eles, uma ciência exata e sem chance de erros. O erro quando ocorre, é de interpretação e não no que dizem os Orixás através deles.

Podemos observar empresários, comerciantes, que por mais que façam obrigações, sempre estão com dificuldade em resolver seus assuntos pendentes, e muitas vezes o prejuízo financeiro é inevitável. Mas, se souber o zelador, entender o que lhe é mostrado no ato da consulta, poderá facilmente decifrar tudo o que atinge a pessoa e qual a melhor solução para seu caso.

Pessoas que mesmo tendo obrigações em dia, mas que, não possuem a prática real, o dom, não conseguem identificar determinados casos que são tratados pelo Oráculo de Ifá naquele momento.

Exatamente por isso, deve a pessoa ao buscar uma casa, ter certeza de onde está entrando para que não corra o risco de ter sua vida ainda mais complicada. Orixá sempre foi e sempre será assunto sério, onde não temos a chance de errar, porque a vida daquela pessoa depende de nós naquele momento.

Ao findar um ano, é comum também as pessoas buscarem as casas que frequentam para saber qual Orixá irá reinar o próximo ano, e quais as obrigações que devem ser feitas para usufruir de suas benevolências.

Mas, se esquecem de ver quais caminhos seu Orixá ancestral lhe dá, e ainda, qual Orixá o reinará naquele ano que se aproxima. Pois, independente de quem reinará no próximo ano, devemos saber quem estará regendo nossos caminhos, para que não haja conflitos entre as duas energias.

O Orixá ancestral é sim tão importante em nossa vida como o de nossa cabeça e temos que saber como tratá-lo para evitar complicações em nossos caminhos. Tomando conhecimento desse fato, e sabendo como cuidar, tem-se muito mais chance de vitória em suas lutas diárias.

Tatetú N’inkisi Odé Mutaloiá.

3 comentários:

  1. sr.odé mutaloiá ,peço para o senhor me ensinar uma oferenda para barú e anirê,porque o fundamento da minha familia está todo em torno desses orixas e também peço uma outra oferenda para o proprio ancestral.
    OBRIGADO PAI ODÈ.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia. Desculpe mas como estou em viajem demorei para ver os comentários. Pode por gentileza entrar em contato comigo pelo formulário deste blogue?

      Excluir
    2. Bom dia. Desculpe mas como estou em viajem demorei para ver os comentários. Pode por gentileza entrar em contato comigo pelo formulário deste blogue?

      Excluir